Faça uma busca

Google
 

quinta-feira, 1 de novembro de 2007

Evolução 2: Pseudotribos, mamífero fóssil descoberto



Pseudotribos robustus é o nome do fóssil descoberto por paleontólogos chineses e americanos. Com cerca de 12 cm de comprimento, devia pesar entre 20 e 30 gramas. Os membros fortes e curtos indicam que devia tratar-se de um poderoso cavador.
O animal é tão diferente de outros grupos já conhecidos que surpreendeu os cientistas. Tudo indica que a diversidade dos mamíferos há 165 milhões de anos, no Jurássico asiático, era muito maior do que se supunha.

segunda-feira, 29 de outubro de 2007

Genealogia 12: abreviaturas

Em registros antigos é muito comum encontrarmos nomes e sobrenomes abreviados. Em via de regra costumam ser nomes comuns e alta freqüência, daí sua necessária abreviação.

Nomes:

J.o , J.m = João (Joam)

C.a , C.na = Catarina (Caterina, Catirina, Catharina)

M.a = Maria

M.el = Manuel

J.e = José

J.m = Joaquim

J.mo = Jerônimo

P.o = Pedro

D.os = Domingos

D.o = Diogo

F.co , Fr.co, Fran.co = Francisco

Ant.o, An.to = Antônio

A.o, Af. o = Afonso

B.eu, B.meu , Br.to = Bartolomeu

B.or, M.or = Belchior/Melchior

B.ar = Baltazar

G.ar, G.par = Gaspar

G.ço, G.o, G.lo = Gonçalo

G.el = Gabriel (Graviel)

Sobrenomes:

A.o eca = Fonseca (Afonseca)

M.do , M.o = Machado

Mont.ro = Monteiro

C.o = Couto

S.a , S.va = Silva

S.za , S.a = Sousa/Souza

Per.ra , P.a , Pr.a , P.ra = Pereira

Silv.ra = Silveira

Frz = Fernandes

Mz, Mz, Mrz = Martins

Pz = Pires

Glz = Gonçalves

Roz, Roiz, Riz, Rz = Rodrigues

M.ça , M.a = Mendonça

Genealogia 11: Consangüinidade

Os graus de consangüinidade usados nos registros paroquiais de casamento referem-se aos ancestrais em comum dos noivos. Nestes casos era necessária uma dispensa de consangüinidade. Importante salientar que a classificação de graus canônicos não é a mesma usada no registro civil de casamentos.

Graus simples

1º. grau: irmãos, ancestral comum: mesmos pais (não havia casamento)
2º. grau: primos-irmãos, ancestral comum: mesmos avós
3º. grau: ancestral comum: mesmos bisavós
4º. grau: ancestral comum: mesmos trisavós

Graus mistos (chamados às vezes de linha transversal)
1º. grau misto com 2º. grau: o ancestral comum avô de um e pai do outro, ou seja, casamento entre tio/a e sobrinha/o. Às vezes referido como "1º. grau atingente ao 2º, em linha transversal desigual"
2º. grau misto com 3º. grau: o ancestral comum era avô de um e bisavô do outro.
3º. grau misto com 4º. grau: o ancestral comum era bisavô de um e trisavô do outro.

Graus duplicados ou múltiplos
3º. grau duplicado: Os noivos tinha mais de um casal de ancestrais em comum.
3º. grau por um lado e 4º. grau por um outro : Os noivos tinha mais de um casal de ancestrais em comum, que é trisavô de um dos cônjuges e bisavô do outro.

Genealogia 10: Antão Pereira Machado e Joana Maria de Souza

Descendentes de Antão Pereira Machado e Joana Maria de Souza

Primeira Geração

1. Antão Pereira Machado nasceu em Velas ou Rosais, ilha de São Jorge.

Antão casou-se com Joana Maria de Souza, filha de Manuel Pereira Fagundes e Bárbara Santa Lemos de Souza. Joana nasceu em Velas, ilha de São Jorge. Ela faleceu em 10 novembro 1820 em São José do Norte-RS.

Eles tiveram os seguintes filhos

2 F i. Ana Joaquina de Souza nasceu em 26 fevereiro 1765 em São José do Norte-RS (Estreito). Ela faleceu1 em 3 julho 1832 em São José do Norte-RS.

Ana casou-se com tenente Domingos Silveira, filho de Manuel Silveira (de Souza) e Maria Silveira, em Estreito-RS. Domingos nasceu2 em 8 agôsto 1758 em Rio Grande-RS e foi batizado3 em 19 outubro 1758 em Rio Grande-RS. Ele faleceu4 em 15 agôsto 1829 em São José do Norte-RS.

3 M ii. Manuel Machado da Silva nasceu5 em 10 julho 1766 em Estreito-RS.

Manuel casou-se com Maria Joaquina do Espírito Santo Duarte, filha de Antônio Silveira Duarte e Bárbara Jacinta, em 9 outubro 1790 em Mostardas-RS. Maria nasceu em Feteira, ilha do Faial.

4 F iii. Maria Santa de Souza nasceu em 20 abril 1768 em Estreito-RS.

Maria casou-se com (1) José Rodrigues de Mesquita, filho de Manuel Rodrigues de Faria e Luísa de Mesquita. José nasceu em Santo Apolinário de Gregos, Miranda do Douro, Bragança (PT).

Maria também casou-se com1 (2) José Cardoso de Aguiar, filho de João Cardoso de Aguiar e Margarida Antônia, em 28 maio 1827 em Mostardas-RS.

5 F iv. Clara Maria nasceu em 21 agôsto 1770 em Estreito-RS.

Clara casou-se com Manuel Silveira Duarte, filho de Antônio Silveira Duarte e Bárbara Jacinta. Manuel nasceu em Feteira, ilha do Faial.

6 F v. Teresa Maria de Jesus de Sousa nasceu em 26 março 1772 em São José do Norte-RS (Estreito).

Teresa casou-se com Manuel da Silveira do Amaral, filho de Francisco Silveira do Amaral e Ana Maria Jacinta. Manuel nasceu em 21 novembro 1767 em Feteira, ilha do Faial e foi batizado7 em 26 novembro 1767 em Feteira, ilha do Faial.

7 F vi. Eufrásia Maria de Jesus foi batizada em 28 novembro 1773 em Mostardas-RS .

Eufrásia casou-se com João Teixeira de Oliveira II, filho de João Teixeira de Oliveira I e Maria de São José. João nasceu em Santo Antônio da Laguna-SC.

8 M vii. Diogo Pereira Machado nasceu em 6 outubro 1777 em Mostardas-RS.

Diogo casou-se com Josefa Maria, filha de Francisco Pereira de Souza e Antonia Maria, em 19 junho 1796. Josefa nasceu em 19 agôsto 1769 em São José do Norte-RS (Estreito).

9 M viii. Joaquim Manuel de Souza nasceu em 1 outubro 1781 em Mostardas-RS.

Joaquim casou-se com Cecília Rosa do Nascimento, filha de _____________ e Ana Maria de Jesus. Cecília nasceu em São Miguel da Terra Firme-SC.

10 M ix. Custódio Pereira de Lemos nasceu em 2 junho 1785 em Mostardas-RS.

Custódio casou-se com Ana Silveira, filha de João José Gonçalves e Ana Francisca do Rosário (=Ana Josefa da Terra), em 8 setembro 1806. Ana nasceu em 31 dezembro 1790 em Mostardas-RS.

11 M x. Domingos de Lima Machado nasceu em 25 maio 1788 em Mostardas-RS.

12 F xi. Luísa Maria de Lemos.

Luísa casou-se com Manuel Silveira Pereira, filho de Antonio da Silveira Pereira e Ana de Souza de Valença, em 14 maio 1804 em Mostardas-RS. Manuel nasceu em Calheta, ilha de S.Jorge.

Fontes

1. CARVALHO, Emílio D'Artagnan, Índice de Inventários: Cartório de Órfãos e Ausentes de S.José do Norte, p. 178.

2. microfilmes LDS, Nossa Senhora da Conceição do Estreito, São José do Norte-RS. Batismos, 3 out 2005. Pesquisado por João Simões Lopes Filho.

3. JACOTTET, Alda M. de M. & DOMÍNGUEZ DE MINETTI, Raquel, Diáspora Açoriana: Açorianos na vila de Rio Grande de São Pedro antes da invasão espanhola. Vol I., Pelotas, 2001, pg.86.

4. CARVALHO, Emílio D'Artagnan, Índice de Inventários: Cartório de Órfãos e Ausentes de S.José do Norte, p. 156.

5. AMARAL, Ivone L. do (org.); JACCOTTET, Alda M. de M.; e MATTOS, Mario B. de, Largueza Histórica do Estreito, 3a. Edição, EdUFPeL, Pelotas, 2000.

6. JACCOTTET, Alda Maria de Moraes, Cadernos de Genealogia - Mostardas (RS) - Livro de Casamentos.

7. NEPS - Genealogias, http://sarmento.eng.uminho.pt/neps/genealogias.htm, 14 jun 2007.

Leituras 1

Do livro "Quando as Corporações regem o Mundo", de David C. Korten:
(...)
Também é essencial que nos libertemos do mito de que o crescimento econômico é a base do progresso humano.
(...)
Além disso, as maneiras ambientalmente mais opressivas de se satisfazer determinada necessidade são em geral aquelas que mais contribuem para o produto nacional bruto (PNB). Por exemplo, dirigir o carro por um quilômetro contribui mais para o PNB do que percorrer um quilômetro de bicicleta. Ligar um ar-condicionado, mais do que abrir uma janela. Consumir alimentos processados e embalados, mais do que usar alimentos naturais comprados a granel em recipientes reutilizáveis. Poderíamos dizer que o PNB, tecnicamente uma medida do fluxo do dinheiro na economia, poderia ser descrito também como uma medida da velocidade em que estamos transformando os recursos em lixo.
(...)