Faça uma busca

Google
 

sexta-feira, 20 de junho de 2008

Genealogia 254: Ancestrais do Dr. Bezerra de Menezes

Adolfo Bezerra de Menezes Cavalcanti, conhecido popularmente como Dr. Bezerra de Menezes ou simplesmente Bezerra de Menezes (Riacho do Sangue (actual Jaguaretama), Ceará, 29 de Agosto de 1831 - Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 11 de Abril de 1900), foi um médico, militar, escritor, jornalista, político e expoente da Doutrina Espírita no Brasil.

Primeira Geração

1. Adolfo Bezerra de Menezes Cavalcanti nasceu em 29 agôsto 1831 em Jaguaretama-CE (Riacho do Sangue). Ele faleceu em 11 abril 1900 em Rio de Janeiro-RJ.



Segunda Geração

2. Antônio Bezerra de Menezes casou-se com Fabiana de Jesus Cavalcanti de Albuquerque.

3. Fabiana de Jesus Cavalcanti de Albuquerque.


Terceira Geração

4. Antônio Bezerra de Souza e Menezes casou-se com Teresa Maria José.

5. Teresa Maria José.


Quarta Geração

8. João de Souza Pereira casou-se com Joana Bezerra de Menezes.

9. Joana Bezerra de Menezes.

10. José Ferreira Colaço casou-se com Teresa Maria de Jesus.

11. Teresa Maria de Jesus.


Quinta Geração

18. Bento Rodrigues Pereira nasceu1 em Goiana-PE. Ele casou-se com Petronilha de Menezes.

19. Petronilha de Menezes nasceu2 em Bahia.

22. João de Souza Pereira é impresso como #8 à página 1.

23. Joana Bezerra de Menezes é impresso como #9 à página 1.



Apêndice A - Fontes


1. MEDEIROS, José Augusto Bezerra de, Famílias Seridoenses, Irmãos Pongetti Editores, Rio de Janeiro, 1940, pg. 80.
2. MEDEIROS, José Augusto Bezerra de, Famílias Seridoenses, pg. 80.

15 comentários:

Ademar Mendes Bezerra disse...

Ademar Mendes Bezerra, filho de João Bezerra de Menezes e Regina de Aragão Mendes Bezerra. Sou neto de Francisco Bezerra de Menezes e bisneto de João Bezerra de Menezes, originário do Riacho do Sangue, que se casou na Região Norte do Ceará,com Manuela Peres Nunes, provavelmente de Ipueiras no Ceará. Minha mãe era filha de Regina Saboya Ximenes de Aragão e do Cel da Guarda Nacional Antônio Enéas Pereira Mendes que, por sua vez era bisneta de Maria Clara Bezerra de Menezes Castro e Silva, do Aracati, que se casou com Vicente Maria Carlos de Saboya, cuja família em boa parte migrou para a cidade Sobral, onde nasci. Gostaria de saber da filiação do meu citado bisavô, João Bezerra de Menezes, quem meu pai herdou o nome. Tenho quase certeza de tanto o meu pai como minha mãe, descende da Matriarca dos Bezerra de Menezes da Região Jaguaribana. Tenho conhecimento de que Jerônimo Bezerra de Menezes deixou ilustre descendência em Sobral, da qual integra o notável advohado Heráclito Fontoura de Sobral Pinto. Antecipadamente agradeço.

Ademar Mendes Bezerra disse...

Ademar Mendes Bezerra, filho de João Bezerra de Menezes e Regina de Aragão Mendes Bezerra. Sou neto de Francisco Bezerra de Menezes e bisneto de João Bezerra de Menezes, originário do Riacho do Sangue, que se casou na Região Norte do Ceará,com Manuela Peres Nunes, provavelmente de Ipueiras no Ceará. Minha mãe era filha de Regina Saboya Ximenes de Aragão e do Cel da Guarda Nacional Antônio Enéas Pereira Mendes que, por sua vez era bisneta de Maria Clara Bezerra de Menezes Castro e Silva, do Aracati, que se casou com Vicente Maria Carlos de Saboya, cuja família em boa parte migrou para a cidade Sobral, onde nasci. Gostaria de saber da filiação do meu citado bisavô, João Bezerra de Menezes,de quem meu pai herdou o nome. Tenho quase certeza de que tanto o meu pai como minha mãe, descendem da Matriarca dos Bezerra de Menezes da Região Jaguaribana, Joana Bezrra de Menezes. Tenho conhecimento de que Jerônimo Bezerra de Menezes, irmão de Joana deixou ilustre descendência em Sobral, da qual integra o notável advohado Heráclito Fontoura de Sobral Pinto. Antecipadamente agradeço. Publicado por incorreção.

Ademar disse...

Francisco Bezerra de Menezes, filho de Bento Rodrigues Pereira e Petronilha Velho de Menezes, primeiro marido de D. Maria Magdalena de Sá e Oliveira, de cujo casal,nasceram Gonçalo João Coimbra e Amaro Lopes Menezes, os quais casaram, ao que tudo indica com duas filhas de Jerônimo Bezerra de Menezes, sobrinhas, portanto do sogro. Com a morte de Francisco Bezerra de Menezes, D. Magdalena se casou com Manuel Vaz Carrasco, também pernambucano, denominado na Ribeira do Acaraú, onde viveu e morreu, como o "pai das sete irmãs". Os Bezerra de Menezes, quer os do Cariri, quanto os de Aracati e Sobral, descendem de Bento e Petronilha, cujos ancestrais integram as famílias mais importantes de Pernambuco e da Bahia, segundo Antônio José Victoriano Borges da Fonseca, autor da Nobiliarquia Pernambucana.O General Raimundo Teles, Vinicius de Barros Leal e Eduardo de Castro Bezerra Neto, escreveram, respectivamente, pelos ramos do Cariri, Sobral e da Região Jaguaribana, obra que poderia que ser republicada por Eduardo, o único sobrevivente da tríade. Ademar Bezerra.

Ademar disse...

Ademar Mendes Bezerra, filho de João Bezerra de Menezes e Regina de Aragão Mendes Bezerra. Sou neto de Francisco Bezerra de Menezes e bisneto de João Bezerra de Menezes, originário do Riacho do Sangue, que se casou na Região Norte do Ceará, com Manuela Peres Nunes, provavelmente de Ipueiras no Ceará. Minha mãe era filha de Regina Saboya Ximenes de Aragão e do Cel da Guarda Nacional Antônio Enéas Pereira Mendes que, por sua vez era bisneta de Maria Clara Bezerra de Menezes Castro e Silva, do Aracati, que se casou com Vicente Maria Carlos de Saboya, cuja família em boa parte migrou para a cidade Sobral, onde nasci. Gostaria de saber da filiação do meu citado bisavô, João Bezerra de Menezes, de quem meu pai herdou o nome. Tenho quase certeza de que tanto o meu pai como minha mãe, descendem da Matriarca dos Bezerra de Menezes da Região Jaguaribana, Joana Bezerra de Menezes. É igualmente do meu conhecimento que os irmãos Francisco Bezerra de Menezes e Jerônimo Bezerra de Menezes, irmãos de Joana Bezerra de Menezes, deixaram ilustre descendência em Sobral, da qual integra o notável advogado Heráclito Fontoura de Sobral Pinto, bem como o Ministro César Asfor Rocha, Presidente do Superior Tribunal de Justiça, se não estiver enganado, por sinal casado em segundas núpcias, com a Dra. Magda Bezerra de Menezes Figueiredo, que foi minha aluna, na Centenária Faculdade de Direito. Francisco Bezerra de Menezes, o velho, foi casado com D. Maria Magdalena de Sá e Oliveira, irmã de Sebastião de Sá que governou a Capitania do Ceará por duas vezes, em 1678 e 1684, segundo a Cronologia Sobralense, I volume, p. 128, do Mons. Francisco Sadoc de Araújo, o maior linhagista sobralense. Com a morte do marido, com quem teve os filhos Gonçalo João Coimbra e Amaro Lopes de Menezes, os quais se casaram respectivamente, com Cosma de Melo Moura e Francisca Bezerra de Menezes, filhas de Jerônimo Bezerra de Menezes, sobrinhas e noras de Francisco Bezerra de Menezes. Com o falecimento deste, D. Magdalena de Sá e Oliveira, casa-se com o viúvo Manoel Vaz Carrasco e Silva, cognominado de “O Pai das Sete Irmãs”, de cujo ventre promana a grande maioria das famílias sobralenses. Tanto os Bezerra de Menezes do Jaguaribe, do Cariri, quanto os de Sobral, descendem de Bento Rodrigues Bezerra e Petronilha Velho de Menezes, donde o patronímico BEZERRA DE MENEZES DO CEARÁ, ele natural de Pernambuco, ela da Bahia. Pelo que pude observar na Nobiliarquia Pernambucana de Antônio José Victoriano Borges da Fonseca, Bento descende de Antônio Bezerra Felpa de Barbuda, natural de Ponte de Lima, casado com Maria de Araújo, os quais vieram para a Capitania de Pernambuco com o seu primeiro donatário, Duarte Coelho Pereira e sua mulher, D. Brites de Albuquerque, irmã de Jerônimo de Albuquerque. De conformidade com Borges da Fonseca deste matrimônio nasceu Domingos Bezerra Felpa de Barbuda que casou com Brasia Monteiro, integrantes, segundo a mesma fonte, das famílias mais importantes e ricas da novel Capitania, que vão se unir às dos Albuquerques, Cavalcantis, Holandas, Carrascos, Barros Pimentel e tantas outras, como os Mendes de Gois e Vasconcelos, por intermédio dos quais tenho a subida honra de também pertencer.

Ademar disse...

Ademar Mendes Bezerra, filho de João Bezerra de Menezes e Regina de Aragão Mendes Bezerra. Sou neto de Francisco Bezerra de Menezes e bisneto de João Bezerra de Menezes, originário do Riacho do Sangue, que se casou na Região Norte do Ceará, com Manuela Peres Nunes, provavelmente de Ipueiras no Ceará. Minha mãe era filha de Regina Saboya Ximenes de Aragão e do Cel da Guarda Nacional Antônio Enéas Pereira Mendes que, por sua vez era bisneta de Maria Clara Bezerra de Menezes Castro e Silva, do Aracati, que se casou com Vicente Maria Carlos de Saboya, cuja família em boa parte migrou para a cidade Sobral, onde nasci. Gostaria de saber da filiação do meu citado bisavô, João Bezerra de Menezes, de quem meu pai herdou o nome. Tenho quase certeza de que tanto o meu pai como minha mãe, descendem da Matriarca dos Bezerra de Menezes da Região Jaguaribana, Joana Bezerra de Menezes. Tenho conhecimento de que os irmãos Francisco Bezerra de Menezes e Jerônimo Bezerra de Menezes, irmão de Joana Bezerra de Menezes, deixaram ilustre descendência em Sobral, da qual integra o notável advogado Heráclito Fontoura de Sobral Pinto, bem como o Ministro César Asfor Rocha, Presidente do Superior Tribunal de Justiça, se não estiver enganado, por sinal casado em segundas núpcias, com a Dra. Magda Bezerra de Menezes Figueiredo, que foi minha aluna, na Centenária Faculdade de Direito. Francisco Bezerra de Menezes, o velho, foi casado com D. Maria Magdalena de Sá e Oliveira, irmã de Sebastião de Sá que governou a Capitania do Ceará por duas vezes, 1678 e 1684, segundo a Cronologia Sobralense, I volume, p. 128, do Mons. Francisco Sadoc de Araújo, o maior linhagista sobralense - Com a morte do marido, com quem teve os filhos Gonçalo João Coimbra e Amaro Lopes de Menezes, os quais se casaram respectivamente, com Cosma de Melo Moura e Francisca Bezerra de Menezes, filhas de Jerônimo Bezerra de Menezes, sobrinhas e noras de Francisco Bezerra de Menezes. Com o falecimento deste, D. Magdalena de Sá e Oliveira, casa-se com o viúvo Manoel Vaz Carrasco e Silva, o cognominado de “O Pai das Sete Irmãs”, de cujo ventre promana a grande maioria das famílias sobralenses. Tanto os Bezerra de Menezes do Jaguaribe, do Cariri, quanto os de Sobral, descendem de Bento Rodrigues Bezerra e Petronilha Velho de Menezes, donde o patronímico BEZERRA DE MENEZES DO CEARÁ, ele natural de Pernambuco, ela da Bahia. Pelo que pude observar na Nobiliarquia Pernambucana de Antônio José Victoriano Borges da Fonseca, Bento descende de Antônio Bezerra Felpa de Barbuda, natural de Ponte de Lima, casado com Maria de Araújo, os quais vieram para a Capitania de Pernambuco com o seu primeiro donatário, Duarte Coelho Pereira e sua mulher, D. Brites de Albuquerque, irmã de Jerônimo de Albuquerque. De conformidade com a mesma fonte, deste matrimônio nasceu Domingos Bezerra Felpa de Barbuda que casou com Brasia Monteiro, integrantes, segundo a dita obra, das famílias mais importantes e ricas da novel Capitania, que vão se unir às dos Albuquerques, Cavalcantis, Holandas, Carrascos, Barros Pimentel e tantas outras, como os Mendes de Gois e Vasconcelos, por intermédio dos quais tenho a subida honra de também pertencer.

Ademar Mendes Bezerra disse...

Ademar Mendes Bezerra, filho de João Bezerra de Menezes e Regina de Aragão Mendes Bezerra. Sou neto de Francisco Bezerra de Menezes e bisneto de João Bezerra de Menezes, originário do Riacho do Sangue, que se casou na Região Norte do Ceará, com Manuela Peres Nunes, provavelmente de Ipueiras no Ceará. Minha mãe era filha de Regina Saboya Ximenes de Aragão e do Cel da Guarda Nacional Antônio Enéas Pereira Mendes que, por sua vez era bisneta de Maria Clara Bezerra de Menezes Castro e Silva, do Aracati, que se casou com Vicente Maria Carlos de Saboya, cuja família em boa parte migrou para a cidade Sobral, onde nasci. Gostaria de saber da filiação do meu citado bisavô, João Bezerra de Menezes, de quem meu pai herdou o nome. Tenho quase certeza de que tanto o meu pai como minha mãe, descendem da Matriarca dos Bezerra de Menezes da Região Jaguaribana, Joana Bezerra de Menezes. Tenho conhecimento de que os irmãos Francisco Bezerra de Menezes e Jerônimo Bezerra de Menezes, irmão de Joana Bezerra de Menezes, deixaram ilustre descendência em Sobral, da qual integra o notável advogado Heráclito Fontoura de Sobral Pinto, bem como o Ministro César Asfor Rocha, Presidente do Superior Tribunal de Justiça, se não estiver enganado, por sinal casado em segundas núpcias, com a Dra. Magda Bezerra de Menezes Figueiredo, que foi minha aluna, na Centenária Faculdade de Direito. Francisco Bezerra de Menezes, o velho, foi casado com D. Maria Magdalena de Sá e Oliveira, irmã de Sebastião de Sá que governou a Capitania do Ceará por duas vezes, em 1 Antecipadamente agradeço. 1678 e 1684, segundo a Cronologia Sobralense, I volume, p. 128, do Mons. Francisco Sadoc de Araújo, o maior linhagista sobralense. Com a morte do marido, com quem teve os filhos Gonçalo João Coimbra e Amaro Lopes de Menezes, os quais se casaram respectivamente, com Cosma de Melo Moura e Francisca Bezerra de Menezes, filhas de Jerônimo Bezerra de Menezes, sobrinhas e noras de Francisco Bezerra de Menezes. Com o falecimento deste, D. Magdalena de Sá e Oliveira, casa-se com o viúvo Manoel Vaz Carrasco e Silva, o cognominado de “O Pai das Sete Irmãs”, de cujo ventre promana a grande maioria das famílias sobralenses. Tanto os Bezerra de Menezes do Jaguaribe, do Cariri, quanto os de Sobral, descendem de Bento Rodrigues Bezerra e Petronilha Velho de Menezes, donde o patronímico BEZERRA DE MENEZES DO CEARÁ, ele natural de Pernambuco, ela da Bahia. Pelo que pude observar na Nobiliarquia Pernambucana de Antônio José Victoriano Borges da Fonseca, Bento descende de Antônio Bezerra Felpa de Barbuda, natural de Ponte de Lima, casado com Maria de Araújo, os quais vieram para a Capitania de Pernambuco com o seu primeiro donatário, Duarte Coelho Pereira e sua mulher, D. Brites de Albuquerque, irmã de Jerônimo de Albuquerque. De conformidade com Borges da Fonseca deste matrimônio nasceu Domingos Bezerra Felpa de Barbuda que casou com Brasia Monteiro, integrantes, segundo a mesma fonte, das famílias mais importantes e ricas da novel Capitania, que vão se unir às dos Albuquerques, Cavalcantis, Holandas, Wanderley (Barão de Cotegipe), Castro e Silva e tantas outras, como os Mendes de Gois e Vasconcelos, por intermédio dos quais tenho a subida honra de também pertencer.

Ademar Mendes Bezerra disse...

Li no livro "Os Bezerra de Menezes" do Cariri, Riacho do Sangue e Sobral, de autoria dos eminentes linhagistas Eduardo de Castro Bezerra Neto, Gal. Raimundo Teles Pinheiro e Vinicius Barros Leal, responsáveis nesta ordem pelo trabalho em referência, os dois últimos já hospedados na Casa Celestial e o derradeiro ainda entre nós, graças a Deus, que Jerônimo Bezerra de Menezes, responsável pelo clã na Região de Sobral, dando lugar aos Bezerra de Araújo, teria se radicado nas imediações de Nova Russas. O Mons. Francisco Sadoc de Araújo, data maxima venia do ponto de vista esposado pelo Dr. Eduardo, diz que teria se radicado mesmo na Ribeira do Acaraú, ligando-se aos Cavalcantis e Albuquerques, entre outros patronímicos. Em sendo verdadeira a assertiva inicial, já que meu Bisavô viveu em Santa Quitéria, refiro-me ao avô de meu pai, de quem este herdou o nome, João Bezerra de Menezes, tendo se casado com uma moça de Ipueiras, de nome Manuela Perez Nunes, descenderia eu pelo ramo dos Sabóias de Aracati, através de Joana Bezerra de Menezes e de Jerônimo, seu irmão, pela Zona Norte. A propósito, meu genitor, João Bezerra de Menezes, chegou a dizer que, vários irmãos de meu avô, Francisco Bezerra de Menezes, teriam ido morar em Crateús, antiga Príncipe Imperial - sem falar que o Saudoso pesquisador e colaborador da Cronologia Sobralense,Luís Coelho de Albuquerque, me afirmou que eu descenderia de Jerônimo de Albuquerque, por intermédio de sua 1ª mulher, embora tivesse eu orgulho de descender da Princesa Arco Verde, por sinal a ancestral do 1º Cardeal da América do Sul, titular do Rio de Janeiro, então Capital da República ou seja do Cardeal Arco Verde, natural de Pernambuco. Pretendo saber a verdade, em busca que irei fazer, se Deus quiser, nas Paróquias de Santa Quitéria, da Diocese de Sobral, e nas das Dioceses de Crateús e de Tianguá, já que meu avô se casou em Campo Grande, hoje Guaraciaba do Norte, com Eugênia Ferreira Martins, sobrinha legítima do Cel. João Martins da Jaçanã, o mais importante político da Região do IPU-CEARÁ, cuja família ainda hoje milita na política desta cidade, e das adjacentes.
Postado por Ademar Mendes Bezerra às 08:38 0 comentários

Ademar Mendes Bezerra disse...

Li no livro "Os Bezerra de Menezes" do Cariri, Riacho do Sangue e Sobral, de autoria dos eminentes linhagistas Eduardo de Castro Bezerra Neto, Gal. Raimundo Teles Pinheiro e Vinicius Barros Leal, responsáveis nesta ordem pelo trabalho em referência, os dois últimos já hospedados na Casa Celestial e o derradeiro ainda entre nós, graças a Deus, que Jerônimo Bezerra de Menezes, responsável pelo clã na Região de Sobral, dando lugar aos Bezerra de Araújo, teria se radicado nas imediações de Nova Russas. O Mons. Francisco Sadoc de Araújo, data maxima venia do ponto de vista esposado pelo Dr. Eduardo, diz que teria se radicado mesmo na Ribeira do Acaraú, ligando-se aos Cavalcantis e Albuquerques, entre outros patronímicos. Em sendo verdadeira a assertiva inicial, já que meu Bisavô viveu em Santa Quitéria, refiro-me ao avô de meu pai, de quem este herdou o nome, João Bezerra de Menezes, tendo se casado com uma moça de Ipueiras, de nome Manuela Perez Nunes, descenderia eu pelo ramo dos Sabóias de Aracati, através de Joana Bezerra de Menezes e de Jerônimo, seu irmão, pela Zona Norte. A propósito, meu genitor, João Bezerra de Menezes, chegou a dizer que, vários irmãos de meu avô, Francisco Bezerra de Menezes, teriam ido morar em Crateús, antiga Príncipe Imperial - sem falar que o Saudoso pesquisador e colaborador da Cronologia Sobralense,Luís Coelho de Albuquerque, me afirmou que eu descenderia de Jerônimo de Albuquerque, por intermédio de sua 1ª mulher, embora tivesse eu orgulho de descender da Princesa Arco Verde, por sinal a ancestral do 1º Cardeal da América do Sul, titular do Rio de Janeiro, então Capital da República ou seja do Cardeal Arco Verde, natural de Pernambuco. Pretendo saber a verdade, em busca que irei fazer, se Deus quiser, nas Paróquias de Santa Quitéria, da Diocese de Sobral, e nas das Dioceses de Crateús e de Tianguá, já que meu avô se casou em Campo Grande, hoje Guaraciaba do Norte, com Eugênia Ferreira Martins, sobrinha legítima do Cel. João Martins da Jaçanã, o mais importante político da Região do IPU-CEARÁ, cuja família ainda hoje milita na política desta cidade, e das adjacentes.
Postado por Ademar Mendes Bezerra às 08:38 0 comentários

Ademar Mendes Bezerra disse...

Li no livro "Os Bezerra de Menezes" do Cariri, Riacho do Sangue e Sobral, de autoria dos eminentes linhagistas Eduardo de Castro Bezerra Neto, Gal. Raimundo Teles Pinheiro e Vinicius Barros Leal, responsáveis nesta ordem pelo trabalho em referência, os dois últimos já hospedados na Casa Celestial e o derradeiro ainda entre nós, graças a Deus, que Jerônimo Bezerra de Menezes, responsável pelo clã na Região de Sobral, dando lugar aos Bezerra de Araújo, teria se radicado nas imediações de Nova Russas. O Mons. Francisco Sadoc de Araújo, data maxima venia do ponto de vista esposado pelo Dr. Eduardo, diz que teria se radicado mesmo na Ribeira do Acaraú, ligando-se aos Cavalcantis e Albuquerques, entre outros patronímicos. Em sendo verdadeira a assertiva inicial, já que meu Bisavô viveu em Santa Quitéria, refiro-me ao avô de meu pai, de quem este herdou o nome, João Bezerra de Menezes, tendo se casado com uma moça de Ipueiras, de nome Manuela Perez Nunes, descenderia eu pelo ramo dos Sabóias de Aracati, através de Joana Bezerra de Menezes e de Jerônimo, seu irmão, pela Zona Norte. A propósito, meu genitor, João Bezerra de Menezes, chegou a dizer que, vários irmãos de meu avô, Francisco Bezerra de Menezes, teriam ido morar em Crateús, antiga Príncipe Imperial - sem falar que o Saudoso pesquisador e colaborador da Cronologia Sobralense,Luís Coelho de Albuquerque, me afirmou que eu descenderia de Jerônimo de Albuquerque, por intermédio de sua 1ª mulher, embora tivesse eu orgulho de descender da Princesa Arco Verde, por sinal a ancestral do 1º Cardeal da América do Sul, titular do Rio de Janeiro, então Capital da República ou seja do Cardeal Arco Verde, natural de Pernambuco. Pretendo saber a verdade, em busca que irei fazer, se Deus quiser, nas Paróquias de Santa Quitéria, da Diocese de Sobral, e nas das Dioceses de Crateús e de Tianguá, já que meu avô se casou em Campo Grande, hoje Guaraciaba do Norte, com Eugênia Ferreira Martins, sobrinha legítima do Cel. João Martins da Jaçanã, o mais importante político da Região do IPU-CEARÁ, cuja família ainda hoje milita na política desta cidade, e das adjacentes.
Postado por Ademar Mendes Bezerra às 08:38 0 comentários

zivania candu disse...

SOU ZIVANIA BEZERRA,MINHA FAMILIA TAMBÉM DESCENDE DO RIACHO DO SANGUE...MEU BISAVÔ JOÃO BEZERRA SAIU DE RIACHO DO SANGUE AINDA SOLTEIRO,CASANDO-SE E CONSTRUINDO FAMILIA NO JUÁ,LOCALIDADE DE QUIXADÁ...A QUESTÃO É QUE MEU BISAVÔ SAIU DE RIACHO DO SANGUE DEIXANDO MUITAS TERRAS,NA QUAL AINDA HOJE TEMOS OS DOCUMENTOS,MAS NÃO VOLTOU MAIS LÁ..PORÉM MEU PAI,HOJE COM 76 ANOS FALA MUITO DE LÁ,E EU ME PERGUNTO O QUE ACONTECEU COM O RESTO DA FAMILIA...

zivania candu disse...

minha familia também descende do riacho do sangue..meu bisavô JOÃO BEZERRA ,saiu de lá anda solteiro,veio para JUÁ,localidade de Quixadá e construiu faamilia..deixou em Riacho do Sangue muitas terras...e não mais voltou lá..meu pai hoje com 76 anos fala muito isso,tem ainda a escritura das terras,mas eu sinceramente não faço menor idéia onde fica o local..questão é onde ficou o resto da familia? meu avô José Albino Bezerra ficou sego aos 9 anos de idade de um coice de cavalo,então nunca foi ninguém da familia atrás de nada que ficou pra trás...mas onde estão os outros parentes?

graça disse...

Genealogia -Segundo tronco:
Antonio Cesário Alves de Castro, ou simplesmente, "Major Cesário, nascido em Riacho do Sangue, atual Jaguaretama- Ceará. Morou em Souza- Paraíba, fixando-se em Ouricuri na década de 1840, até sua morte em 1882. Casado em segundas núpcias com D. Joana Bezerra Lins que também era viúva e tinha do primeiro matriônio a filha, UMBELINA BEZERRA LINS, casada com Antônio Manoel da Paixão, dão origem entre nós, a numerosa prole. O Major Cesário compra a propriedade pertencente ao Dr. Bernardino Reis e Silva a qual põe o nome de BEBERIBE, ao pé do patrimônio de São Sebastião de Ouricuri- Pernambuco. Torna-se senhor de grandes posses, rico agro-pecuarista. É o tronco de uma família que continua crescendo entre nós, constituindo-se também um dos ancestrais dos MAIAS que formam grupo familiar de evidência político-social no Nordeste, principalmente na Paraíba e Rio Grande do Norte. Conforme se vê no capítulo "MAJOR CESÁRIO, MAIA e outrs famílias", houve duplicidade no registro do seu nome, Antonio Cesário Alves de Castro, no seu testamento é Cesário de Vasconcelos Maia, citado no livro "NO ROTEIRO DOS AZEVEDOS e outras famíliass do Nordeste".
Dcendentes: do primeiro casamento matrmônio( ignoro o nome da esposa), nascem: 1- Francisco Severiano de Vasconcelos; 2- Antonio Cesário Alves de Castro Junior.
Do segundo matriônio com Joana Bezerra Lins: 3 - Maria Felícia Alves de Castro; 4- Maria Francelina Alves de Castro;5- Francisca Romana Alves de Castro; 6 Domingos Cesário Alves de Castro; 7- Sabino Sidônio Alves de Castro; 8- padrasto de UMBELINA BEZERRA LINS( bisavó da minha avó" Hormecinda Bezerra Lins De Castro" ).

Minha genealogia está em construcão, pois preciso de dados anteriores à década de 1840. Caso alguém saiba, favor entrar em contato no meu e-mail
gracalazarini@hotmail.com

graça disse...

Genealogia -Segundo tronco:
Antonio Cesário Alves de Castro, ou simplesmente, "Major Cesário, nascido em Riacho do Sangue, atual Jaguaretama- Ceará. Morou em Souza- Paraíba, fixando-se em Ouricuri na década de 1840, até sua morte em 1882. Casado em segundas núpcias com D. Joana Bezerra Lins que também era viúva e tinha do primeiro matriônio a filha, UMBELINA BEZERRA LINS, casada com Antônio Manoel da Paixão, dão origem entre nós, a numerosa prole. O Major Cesário compra a propriedade pertencente ao Dr. Bernardino Reis e Silva a qual põe o nome de BEBERIBE, ao pé do patrimônio de São Sebastião de Ouricuri- Pernambuco. Torna-se senhor de grandes posses, rico agro-pecuarista. É o tronco de uma família que continua crescendo entre nós, constituindo-se também um dos ancestrais dos MAIAS que formam grupo familiar de evidência político-social no Nordeste, principalmente na Paraíba e Rio Grande do Norte. Conforme se vê no capítulo "MAJOR CESÁRIO, MAIA e outrs famílias", houve duplicidade no registro do seu nome, Antonio Cesário Alves de Castro, no seu testamento é Cesário de Vasconcelos Maia, citado no livro "NO ROTEIRO DOS AZEVEDOS e outras famíliass do Nordeste".
Dcendentes: do primeiro casamento matrmônio( ignoro o nome da esposa), nascem: 1- Francisco Severiano de Vasconcelos; 2- Antonio Cesário Alves de Castro Junior.
Do segundo matriônio com Joana Bezerra Lins: 3 - Maria Felícia Alves de Castro; 4- Maria Francelina Alves de Castro;5- Francisca Romana Alves de Castro; 6 Domingos Cesário Alves de Castro; 7- Sabino Sidônio Alves de Castro; 8- padrasto de UMBELINA BEZERRA LINS( bisavó da minha avó" Hormecinda Bezerra Lins De Castro" ).

Minha genealogia está em construcão, pois preciso de dados anteriores à década de 1840. Caso alguém saiba, favor entrar em contato no meu e-mail
gracalazarini@hotmail.com

Francisco J.B.Sá disse...

Francisco José Bezerra Sá,cearence de Mulungu,CE,1943,também sou descendente dos Bezerra de Meneses,meu bisavô -Francisco Liberato Bezerra de Meneses,casa do com D.Amélia de Oliveira,Canindé,CE,veio de Riacho do Sangue,CE, no fim do século 19,morrendo em Acre,por voltas de 1909,foi líder dos extratores de borracha e seringueiro!

Baro Empreiteira disse...

Sou Monica Carvalho Moreira , minha Bisavó , Maria José Bezerra de Menezes era prima do DR Bezerra de Menezes , dizem que eram muito unidos, quase irmãos .