Faça uma busca

Google
 

quarta-feira, 17 de fevereiro de 2010

Genealogia 477: Açorianos em Minas Gerais

Mineiros das Nove Ribeiras

Na obra " Genealogia da Zona do Carmo" (Ponte Nova, Est. Gráfico "Gutemberg" Imãos Penna, 1943), do notório genealogista mineiro, o Cônego Raimundo Otávio da Trindade (1883- 1962), descobri uma série de famílias de origem açoriana, notadamente diversas provenientes da freguesia de Santa Bárbara das Nove Ribeiras, da ilha Terceira.

Meus ancestrais nesta freguesia açoriana emigraram para o Brasil e estabeleceram-se no Rio Grande do Sul, mas sem dúvida houve um grande fluxo migratório para a região de Minas Gerais. O impacto da colonização açoriana ainda é muito pouco pesquisada, e mereceria um aprofundamente maior que aquele que tentarei nesta postagem.

Dentre os genearcas listados pelo Cônego Trindade, selecionei o seguintes casais:

1- Antônio Gonçalves Mole e Francisca do Rosário (nº 73 - Mol - pg. 48 )

2- Vicente Romeiro e Ana da Costa (nº 106 - Romeiros - pg. 152 )

3 - Gaspar Gonçalves Tristão, casado duas vezes, com Bárbara Gonçalves e Joana de São Pedro (nº 127 - Tristão - pg. 361)

1 - ANTÔNIO GONÇALVES MOLE E FRANCISCA DO ROSÁRIO

ANTÔNIO GONÇALVES MOLE (este sobrenome, tipicamente terceirense, possui diversas grafias divergentes: Mole, Molle, Moles, Moules, Moule, Mol, acredito em uma origem não-portuguesa) era natural da freguesia de S. Bartolomeu dos Regatos, uma pequena freguesia vizinha à das Nove Ribeiras, filho de Antônio Gonçalves Moules e Maria do Rosário. Casou-se a primeira vez, na Igreja de Santa Bárbara, em abril de 1709, com Maria da Encarnação, aí nascida, filha de João de Souza Cota e Isabel Coelho.
Enviuvando, Antônio casou-se de novo no mesmo local, em 19 de dezembro de 1712 com FRANCISCA DO ROSÁRIO, natural da freguesia de S. Miguel Arcanjo das Lajes, na mesma ilha, onde se batizou a 5 de abril de 1687, filha de Luís Machado de Mendonça e Joana de São Pedro. Foram pais de:

  • Manuel Gonçalves Mole, casado em Minas com Maria Xavier de Nazaré.

2 - VICENTE ROMEIRO E ANA DA COSTA

VICENTE ROMEIRO VELHO nasceu em Nove Ribeiras, filho de Sebastião de Fontes Velho e Catarina Furtado Leite, casando-se aí, no final do século XVI com ANA DA COSTA. Tiveram inúmeros filhos, todos nascidos na dita freguesia, dos quais o Cônego Trindade destacou três, com descendência mineira:

  • Tomé da Costa. Batizado em 7/12/1600, casou-se na Igreja de N.Sª. da Conceição, da cidade de Angra do Heroísmo (capital da Ilha Terceira), com Catarina Vaz Velho, aí nascida, filha de Roque Gonçalves e Leonor Dias. Foram pais de Vicente Romeiro Velho (neto), casado a 1ª vez na Sé de São Salvador da mesma cidade de Angra em 26/4/1638 com Ana Dias, viúva de Pedro de Campos. Enviuvando, retornou para a freguesia de seu pai, onde casou a 28/1/1646 com sua enteada Joana Dias, filha de Pedro de Campos e Ana Dias. Foram pais de muitos filhos, todos batizados em Santa Bárbara:
    • Manuel, batizado em17/12/1646;
    • João Romeiro da Costa, batizado em 13/10/1649;
    • Antônio (1º de nome), batizado em 7/4/1652;
    • Ana das Candeias, batizada em 2/2/1656;
    • Margarida Vaz, batizada em 3/11/1658;
    • Amaro Romeiro da Costa Velho (citado na Genealogia da Zona do Carmo), casou-se nas Nove Ribeiras em 18/10/1694 com Ágada da Conceição, aí batizada 13/7/1672, filha de Manuel Vaz da Costa e Maria de Santiago;
    • Mateus Romeiro da Costa;
    • Maria Madalena;
    • Brás Fernandes da Costa (citado na Genealogia da Zona do Carmo), casado com Catarina Machado;
    • Antônio (2º de nome), batizado em 3/5/1667;
    • Beatriz da Costa Velho, batizada em 1º/9/1669 (citada na Genealogia da Zona do Carmo como Brites da Costa - há muitas grafias para o nome Beatriz nos registros da época: Beatriz, Beatris, Breatiz, Breitis, Brites), casou-se em 1688, nas Nove Ribeiras, com Simão Pires Ferreira, da freguesia de S. Roque dos Altares, da mesma ilha Terceira;
  • Maria da Costa, casou-se com Antônio Gonçalves Mole (Moules), filho de Antônio Gonçalves Moules e Leonor Martins. Pais de:
    • José da Costa Mole, alferes, batizada em 6/10/1650, casou-se a 1ª vez com Maria Coelho. Casou-se a 2.ª vez nas Nove Ribeiras, em 25/11/1706 [vide abaixo, nota 1] com Catarina Evangelho, natural de S. Pedro da Ribeirinha, na mesma ilha, viúva de Sebastião da Rocha.
    • Manuel Gonçalves Mole, casado na igreja de Santa Bárbara em 20/5/1658 com Catarina Machado de Toledo, filha de Sebastião Vieira e Catarina Gonçalves.
    • Antônio Gonçalves Mole, casado com Maria do Rosário. Pais de Antônio Gonçalves Mole, vide acima, 1.
    • Leonor Martins, casada nas Nove Ribeiras 15/5/1664 com o alferes Álvaro Pires da Silveira, natural da ilha do Pico, filho de Pedro da Silveira e Isabel Ramalho. Pais de:
      • Pedro da Costa Mole, casado em fevereiro de 1706, nas Nove Ribeiras, com sua parenta em 4º grau Maria de Jesus, filha de Manuel Gonçalves Castanho e Bárbara Gonçalves. Maria de Jesus estabeleceu-se em Furquim, viúva com cinco filhos.
  • Bárbara da Costa, batizada nas Nove Ribeiras em 21/5/1614, casou-se com Gonçalo Enes Moules, filho de Antônio Gonçalves Moules e Leonor Martins. Pais de vários filhos, dentre os quais:
    • Gonçalo Enes da Costa (referido como Gonçalo Nunes, pelo Cônego Trindade), casou-se na igreja de Santa Bárbara em 3/2/1700 com Ágada Pacheco, filha de Manuel Pacheco e Maria da Costa. Com geração em Minas Gerais.

3 - GASPAR GONÇALVES TRISTÃO

GASPAR GONÇALVES TRISTÃO (Gaspar Machado Tristão, Gaspar Gonçalves Machado) era filho do alferes Gaspar Gonçalves Tristão e Bárbara Dias. Casou-se a primeira vez nas Nove Ribeiras, em 25/1/1673, com sua parenta BÁRBARA GONÇALVES DA COSTA, aí nascida, filha de Bartolomeu Gonçalves Castanho e Bárbara da Costa. Enviuvando de Bárbara, casou-se a 2ª vez com a irmã daquela, JOANA DE SÃO PEDRO. Do 1º casamento nasceram:

  • Manuel Gonçalves Tristão (citado na Genealogia da Zona do Carmo), batizado nas Nove Ribeiras em 15/11/1673, casou-se ali em 1º/8/1712 com sua parenta Bárbara da Conceição, ali nascida, filha de Belchior Gonçalves Cota e Maria Gonçalves. Foram pais de:
    • Maria da Conceição e Souza, casada nas Nove Ribeiras em 8/6/1744 com o capitão Antônio Ferreira Velho, filho de João Ferreira Velho e Maria da Conceição. Com geração em Furquim/MG.
  • Inês de Jesus (citada na Genealogia da Zona do Carmo, como Inês Gonçalves), casou-se a 1ª vez nas Nove Ribeiras, em 22/11/1699, com Bento da Costa, filho de João Luís e Maria Gato. Enviuvando, casou-se a 2ª vez no mesmo lugar em dezembro de 1706 com seu parente em 4º grau Mateus Coelho Moules, filho do alferes José da Costa Moules e Maria Coelho. Com geração em Furquim/MG.
  • Pedro Lourenço Machado
  • Maria Machado


GASPAR e sua segunda esposa JOANA tiveram a:

  • Francisca, batizada nas Nove Ribeiras em 18/5/1692

NOTAS:

1 - CASAMENTO DE JOSÉ DA COSTA MOLE e CATARINA EVANGELHO

Em os vinte e sinco dias do mes de 8.bro de mil e sete Centos e seis nesta Parochial Ig.ra de santa Barbora das nove Ribr.as donde o Contrahentehe n.al e freguez e a contrahente n.al e fregueza da Ig.ra do Appostolo São P.º do Luguar da Ribeirinha feitas as denunciaçons na forma do Sagrado Concil. Trident.º Sem se descubrir impedimento algum por mandado do R.do Provizor o Dt.or Lazaro de Souza Pr.ª em prezensa de mim Fran.co Alvares pelas horas outo da manha e do p.e Beneficiado desta dita Igr.ª Matheus Gracia, e do Capp.am Luis Lopes n.al da Ribeirinha e de m.tas test.as se Cazaram Solemenem.te por palavras de prez.te in facie Ecclae por marido e m.er Jozeph da Costa [viu]vo de Maria Coelha com C.na Evan[gelha?] viuva de Seb.am da Rocha fregue[za que] foi do App.lo São P.º da Ribr.ª e p.ª Constar fis este termo que asignei Contes.tas prezentes as[...] dia mes e era ut supra. = O Cur.ª Fran.co Alvarez

domingo, 14 de fevereiro de 2010

Genealogia 476: Bartolomeu Pires, hipótese para sua ascendência

Eu sou um longínquo descendente do casal Bartolomeu Pires Gonçalves da Costa (que aparece nos registros ora como Bartolomeu Pires, Bartolomeu Pires da Costa ou Bartolomeu Pires Gonçalves) e Maria Lucas. Por não ter encontrado o registro paroquial do casamento deles, seja por estar perdido, em folhas danificadas, ou ter acontecido em outra freguesia que não a de Santa Bárbara das Nove Ribeiras, onde sua descendência viveu. Agora que comecei a levantar os batismos dos filhos do casal para tentar elucidar a ascendência deste casal açoriano da ilha Terceira.

Bartolomeu e Maria foram pais de:

1- Isabel Dias, batizada em 7/5/1640, sendo seus padrinhos o capitão Ascenso Rodrigues e Maria Luís, filha de Luís Gonçalves. A análise dos nomes permite-me supor que Luís Gonçalves seja o pai de Bartolomeu, vejamos:
a) Luís Gonçalves era esposo de Leonor Dias, filha de Frutuoso Pires e Isabel Dias. Isto associa a este casal os sobrenomes Dias e Pires.
b) Luís Gonçalves seria irmão de Belchior Gonçalves da Costa, mais uma combinação que confere.
c) Frutuoso Pires era irmão de um Bartolomeu Pires mais antigo.

2- João Gonçalves da Costa, batizado em 30/1/1647, com padrinhos o padre Antônio Machado e Mécia Coelho esposa de Antônio Fernandes da Costa

3- Maria Lucas, batizada em 8/5/1650, com padrinhos Luís Gonçalves filho de Leonor Dias, e Maria Ferreira, casada com Gaspar Gonçalves Tristão.

4- Manuel Lucas da Costa, batizado em 12/2/1654, com padrinhos o vice-vigário Tomé Gomes Coelho e Maria Ferreira c/c Gaspar Gonçalves Tristão.

5- Leonor Dias, que teria recebido o nome da suposta avó materna.

6- Francisca da Cruz, minha ancestral, batizada em 4/7/1660, afilhada do padre Bartolomeu Machado de Andrade e de Ágada da Costa mulher de Amaro Cardoso


ASCENDÊNCIA SUGERIDA PARA BARTOLOMEU PIRES:

1. Bartolomeu Pires
2. Luís Gonçalves
3. Leonor Dias
4. Bartolomeu Vaz
5. Maria Luís
6. Frutuoso Pires, casado em 9/6/1577
7. Isabel Dias
12. Antônio Pires
13. Maria Fernandes
14. Francisco Fernandes
15. Leonor Dias