Faça uma busca

Google
 

sexta-feira, 28 de maio de 2010

Evolução 150: Sinoceratops, um ceratopsídeo na China

First ceratopsid dinosaur from China and its biogeographical Implications. 2010. Xu Xing, et al. Geology 55: 1631-1635

Resumo traduzido:

Os dinossauros ceratopsídeos representam um dos grupos mais bem conhecidos do Cretáceo Superior, e todos os membros inquestionáveis do grupo estão restritos ao oeste da América do Norte. Aqui reportamos um novo dinossauro, de espécie e gênero novos, Sinoceratops zhuchengensis , encontrado no Grupo Wangshi em Zhucheng, Província de Shandong, China, em terrenos do Cretáceo Superior. A análise cladística coloca este novo táxon, o primeiro ceratopsídio conhecido fora da América do Norte, numa posiçãoo basal dentre os centrossauríneos (Centrosaurinae). Ele é consideravelmente maior que a maioria dos centrossauríneos, porém but similar em tamanho aos casmossauríneos (Chasmosaurinae) mais primitivos. Além disso, ele é mais similar aos casmosauríneos do que aos centrossauríneos em diversos aspectos, o que acaba diluindo a distinção entre ambos os grupos. Este novo achado não apenas fornece novas informações importantes sobre a transição morfológica entre os ceratopsídios e os não-ceratopsídios, mas também vem complicar a biogeografia do grupo, demonstrando que novas descobertas serão fundamentais para se ter um panorama mais preciso da história biogeográfica dos dinossauros.

OBS: Prefiro usar a forma ceratopsídio para o nome da ordem (Ceratopsida), e a grafia ceratopídeo para a família (Ceratopidae), em vez do recorrente ceratopsídeo. Partindo do nome genérico Ceratops, o termo correto seria Ceratopidae e não Ceratopsidae.

quarta-feira, 26 de maio de 2010

Evolução 149:Ajkaceratops, um ceratopsídeo na Europa

A descoberta de um dinossauro do grupo dos ceratopsídios, Ajkaceratops kozmai, no Santoniano da Hungria (Formação Csehbánya), acrescentou mais um elemento para reforçar a hipótese de que o intercâmbio faunístico entre o arquipélago que ocupava os territórios europeus e a Ásia era maior do que se supunha. A existência do Ajkaceratops, similar aos cetatopsídios da família asiamericana dos Bagaceratopídeos, aliada à existência no Cretáceo de hadrossaurídeos avançados na Espanha, marsupiais na Holanda e na França, mamíferos zhelestídeos na Espanha e França, e possíveis alvaressaurídeos na Hungria, vem ampliando o conhecimento sobre a fauna européia, e suas possíveis conexões com a Ásia.

A Late Cretaceous ceratopsian dinosaur from Europe with Asian affinities
Attila Ősi,Richard J. Butler & David B. Weishampel. Nature 465,466–468 (27 May 2010)

segunda-feira, 24 de maio de 2010

Evolução 148: Dimaitherium, um hiracóide primitivo no Egito

A Formação Birket Qarun no Egito situa-se na depressão conhecida como Fayum, e é um dos mais importante sítios paleontológicos do país. Famosa por sua fauna de mamíferos do Eoceno Superior (Priaboniano), ali foram descobertas muitas espécie fósseis de hiracóides, ordem que atualmente só conta com poucas espécies conhecidas como damões ou hiraxes, semelhantes a marmotas, restritos à África e a regiões montanhosas do Oriente Próximo. No Eoceno, a variedade no grupo era muito maior, e algumas espécies fósseis chegavam ao porte de uma vaca, ocupando diversos nichos ecológicos. A nova espécie recém-batizada, Dimaitherium patnaiki, tem característica bem mais primitivas que seus comtemporâneos, e as evidência recolhidas dos ossos dos membros indica que tratava-se de um ágil escalador. A análise comparativa desta nova espécie com outras mais antigas, chamadas provisoriamente de "Megalohyrax" gevini, "Titanohyrax" mongereaui e "Titanohyrax tantulus", recomenda que a atribuição destas espécies, do Eoceno Inferior do norte da África, a estes gêneros é equivocada.


Barrow, Seiffert and Simons, 2010. A primitive hyracoid (Mammalia, Paenungulata) from the early Priabonian (Late Eocene) of Egypt . Journal of Systematic Palaeontology. 8(2), 213-244.