Faça uma busca

Google
 

sábado, 20 de outubro de 2007

Genealogia 5: Evolução dos sobrenomes portugueses (III)

Continuando o post anterior...
Na época do início da colonização brasileira, os sobrenomes portugueses pareciam ser quase aleatórios. É um sistema tão confuso que parece caótico.
Mas não é.
O que acontecia era a ausência de padronização. Hoje em dia a regra é sobrenome materno+paterno. Naqueles dias, não. Um casal com dez filhos poderia dar a eles dez combinações diferentes. Podiam usar só o paterno, só o materno, materno+paterno e paterno+materno; podiam adotar sobrenomes de antepassados mais antigos, muitas vezes repetindo igual.

Por exemplo, um casal Manuel Pereira e Maria Gonçalves geram um filho Belchior Pereira. Este Belchior se casa com uma Catarina de Sousa, e podia batizar uma filha com o nome da avó "Maria Gonçalves. Aqueles que forem no futuro pesquisar quebrarão a cabeça para entender como uma Maria Gonçalves pode ser filha de Belchior Pereira e Catarina de Sousa. Tal costume era extremamente comum entre os séculos XVI e XVIII.

O aumento da migração para o Brasil também levou à disseminação de um costume já usado em Portugal. Talvez para evitar o excesso de homônimos, adicionava-se o nome do lugar de origem ao sobrenome. Assim, um Manuel Lopes vindo de Lisboa virava "Manuel Lopes Lisboa", e um Manuel Lopes vindo do Porto, virava "Manuel Lopes Porto". Esta é a origem da maior parte das famílias que usam sobrenome Porto, Braga, Viana, Coimbra, Évora, Faro, Chaves, Lisboa, Guimarães, todos originalmente nomes de grandes cidades portuguesas, e conseqüentemente terra natal de muitos emigrantes. Eu mesmo tenho um ancestral de nome Manuel da Silva Jorge, que adotou o sobrenome "Jorge" por ter vindo da ilha de São Jorge, no arquipélago atlântico dos Açores.

Somente a partir de meados do século XIX é que os sobrenomes portugueses vão consolidando-se na forma tradicional sobrenome materno+paterno. O curioso é que os sobrenomes espanhóis padronizaram-se no formato inverso: paterno+materno.

Um comentário:

Anônimo disse...

gostei de encontrar este saite. estou fazendo genealogia ,e posso agora compreender as mudanças dos sobrenomes .O SOBRENOME DE MEU TATARAVO ERA PRESTES GUIMARÃES E AVOS DO MEU PAI ERA FERNANDES....OBRIGADO..FLAVIO DIPP