Faça uma busca

Google
 

domingo, 28 de junho de 2009

Etimologia 65: origem de alguns nomes incomuns

No Brasil usam-se muitos nomes "exóticos" para batizar as crianças. A maioria tem origem em personagens estrangeiros (geralmente tomando-se nomes como sobrenomes), em personagens fictícios, de obras famosas, ou suas origens ainda são nebulosas. Fiz uma pequena seleção, que já está na segunda atualização, substituindo o antiga postagem em Etimologia 61.

ADALGISA - personagem da Ópera Norma (1831), de Vincenzo Bellini, jovem sacerdotisa do templo de Irminsul. A formação do nome é germânica, Adal, "nobre" e talvez *gaiz- "lança, dardo".
ADELAIDE - nome de origem germânica, Adelheid, popularizada nos países de língua portuguesa a partir da personagem das óperas Adelaide di Guesclino (1799) e Adelaide e Tebaldo (1801), e Adelaide e Comingio (1817), todas de autoria de Gaetano Rossi.
ADHEMAR (Ademar) -O personagem histórico mais antigo com este nome foi Ademar de Monteil (ou Adhemar, Adhémar, Adémar, Aimar, Aelarz) que foi bispo de Le Puy de 1077 a 1098 e um dos principais personagens da Primeira Cruzada.
ADÍLSON -
AÏDA
- nome, de origem fictícia, da principal personagem da Ópera de Giuseppe Verdi e Antonio Ghislazoni, estreando em 1871. Aïda era um princesa etíope feita escrava no Egito, e torna-se a paixão do general egípcio Radamés.
AÍRTON (Ayrton) - de Tom Ayrton, personagem de Júlio Verne em A Ilha Misteriosa (1874) e Os Filhos do Capitão Grant (1867-68).
ALAÍDE (Alaïde) - personagem da Ópera "A Estrangeira" (La Straniera), de Bellini, apresentada em 1829, baseada em livro de 1825. Alaíde é o nome falso adotado por Agnes de Merânia, natural da Dalmácia (atual Iugoslávia) e mais tarde rainha francesa ao casar com Felipe II.
ALAN - possivelmente teve uma difusão inicial graças ao líder do Espiritismo Alan Kardec; mas no século XX sua popularidade pode ser devida ao ator francês Alan Delon.
ALCINA - personagem do romance épico Orlando Furioso (1516), de Ludovico Ariosto. Era uma bruxa, claramente inspirada na Circe homérica e na Morgana dos ciclos arturianos (no romance, inclusive, Alcina possui uma irmã chamada Morgana). A personagem inspirou uma obscura ópera de Handel, de 1735.
ALMIR - masculino criado a partir de Almira.
ALMIRA - nome tirado do personagem-título da ópera Almira, a Rainha de Castela (Almira, Königin von Castillien) de 1845 composta por George Frideric Handel, em 1705, baseada em um libretto de 1691 de Giulio Pancieri.
ALZIRA - nome tirado do personagem-título de uma ópera de 1845 composta por Giuseppe Verdi e Salvatore Cammarano, baseada na peça Alzire, ou Os Americanos, de Voltaire. A história se passa no Peru, e narra dos conflitos entre os governantes espanhóis e os incas conquistados. Alzira era o nome (fictício) de uma princesa peruana, filha de Ataliba (variação de Atahualpa). Outros personagens indígenas da ópera são Zamoro e Otumbo, enquanto o governador espanhol era Gusmano, filho de Álvaro.
AMENAIDE - possivelmente um nome fictício inspirado em nomes helênicos, feito personagem da ópera Tancredi (1813), de Gaetano Rossi.
ANGÉLICA - personagem do romance épico Orlando Furioso (1516), de Ludovico Ariosto.
ARACY - personagem do romance Ubirajara, de José de Alencar.
ARAQUÉM - personagem do romance Iracema, de José de Alencar.
ARMANDO - popularizado, talvez, pelo cavaleiro Armando, personagem da ópera O Cruzado no Egito (Il crociato in Egitto, 1824), de Giacomo Meyerbeer.
ARY (ARI, ARY KOERNER, ARY KERNER, ARIQUERNES, ARIQUERNER) - Ary Kerner, personagem da peça francesa O Anjo da Meia-Noite (L'Ange de minuit), de Theodore Barrière, de 1861.
ARY KOERNER (Ariquerner, Ariquernes) - vide Ary.
ASTOLFO - personagem do romance épico Orlando Furioso (1516), de Ludovico Ariosto.
ATALIBA - nome de um personagem da Ópera Alzira (v.), de 1845, baseada numa peça de Voltaire. O nome parece ser vagamente inspirado no nome inca Atahualpa.
BELKIS (BELKISS) -Deriva de Balqis ou Bilqis, variações do nome atribuído na tradição islâmica à Rainha de Sabá.
CHATEAUBRIAND - Homenagem a François-René de Chateaubriand (1768-1848), também conhecido como visconde de Chateaubriand, escritor, ensaísta, diplomata e político francês com vasta produção literária em sua fase pré-romântica.
CAUBI (CAUBY) - personagem do romance Iracema, de José de Alencar.
CELANIRA (SELANIRA) - protagonista da ópera de mesmo nome (1815), de Gaetano Rossi.
CLORINDA - nome fictício da personagem do épico Jerusalém Libertada (La Gerusalemme liberata, 1581), de Torquato Tasso. Era uma donzela guerreira, criado por pais africanos adotivos, e inicialmente aliada do exército muçulmano. O mesmo nome foi dado a uma das irmãs malvadas da ópera La Cenerentola (Cinderela, 1816-1817) de Gioachino Rossini. Nesta adaptação do conto da Cinderela, a personagem principal chama-se Angelina, e as irmãs más chamam-se Clorinda e Tisbe, filhas de Dom Magnificio, Barão de Montefiascone.
CORINA - de Corinna, personagem da ópera Il Viaggio a Reims (1825), de Rossini.
DANILO - forma servo-croata do nome Daniel, difundida graças ao príncipe personagem da opereta A Víúva Alegre (1905), de Franz Lehár. O personagem foi claramente inspirado no príncipe de Danilo I Petrović-Njegoš (1826-1860), regente do reino balcânico de Montenegro.
DINORAH (DINORÁ, DINORA) - nome de origem fictícia da personagem principal da ópera Le pardon de Ploërmel (1859), de Giacomo Meyerbeer.
DJALMA - nome fictício de um príncipe indiano, personagem do livro A Lenda do Judeu Errante, do escritor francês Eugène Sue.
EDÍLIA - de uma personagem da ópera Almira, a Rainha de Castela (Almira, Königin von Castillien) de 1845 composta por George Frideric Handel, em 1705, baseada em um libretto de 1691 de Giulio Pancieri.
EDÍLSON -
EDISON
(Édson, Edson) - a partir do sobrenome de Thomas Alva Edison (1847-1931), o célebre cientista e inventor norte-americano.
ELVIRA - nome medieval ibérico. Muito usado na Idade Média, tornou-se obsoleto, mas pode ter sido "ressuscitado" graças à personagem Elvira, esposa de Mustafá, bei da Argélia, na ópera L'Italiana in Algeri (1813), de Rossini.
EMERSON (Êmerson) - Ralph Waldo Emerson (1803-1882), escritor, filósofo e poeta norte-americano.
ENILDA (HENILDA) - do germânico Hemnilda, nome de duas esposas do rei da Polônia Boleslau. O nome parecer variação de *Irminhild ou de *Himinhild.
ESTANISLAU - nome de origem eslava, Stanislavu, "aquele que mantém a glória", muito comum na Polônia, com santos e reis assim chamados. Foi popularizada nos países de língua portuguesa talvez pela ópera cômica Il finto Stanislao, re di Polonia (Um dia de reinado, 1812) de Gaetano Rossi.

FENELON- François Fénelon era o pseudônimo de François de Salignac de La Mothe (1651-1715), teólogo católico, poeta e escritor francês, com idéias liberais sobre política e educação.
FILINTO (Felinto, Philinto) - do personagem Philinte, da obra O Misantropo (Le Misanthrope ou L'Atrabilaire Amoureux), comédia escrita em 1666 pelo dramaturgo francês Molière. Filinto Elísio foi o pseudônimo adotado pelo poeta português Francisco Manuel do Nascimento (1734-1819).
FLORIZEL - Rei da Boêmia em uma obra de Shakespeare.
FRANKLIN - Benjamin Franklin
GAUDÊNCIO - Do latim Gaudentius, pode ser se popularizado pelo personagem Gaudenzio, da ópera Il signor Bruschino, ossia Il figlio per azzardo (1813), de Gioachino Rossini.
GILDA - de inspiração na raiz germânica *gild- "recompensa, riqueza", difundido talvez pela personagem da ópera Rigoletto, composta por Giuseppe Verdi (1851), e mais tarde popularizado no século vinte pelo personagem interpretado por Rita Hayworth (1918-1987) no filme de mesmo nome (1946).
GISELLE (GIZELLE, GISELE) - nome francês difundido pelo Balé Giselle, composto por Adolphe Adam, apresentado pela primeira vez em 1940.
GRAZIELLA - do romance de Alphonse de Lamartine, de 1852.
Hamilton (Amílton)
HAYDÉE (Haidée, Aidée, Aidê) - da personagem do livro Don Juan, poema de Lord Byron (1823), e da princesa de O Conde de Monte Cristo (Le Comte de Monte Cristo, 1844), de Alexandre Dumas, uma princesa grega por quem o protagonista se apaixona.
HELDER -
HERNANI (Ernâni, Ernane, Hernane) - personagem da peça homônima, de autoria de Victor Hugo, na peça, Hernani era um bandido espanhol.
HERMÍNIA (HERMINA, ARMÍNIA, ERMÍNIA, ERMINA)- baseado no radical germânico *Irmin-, "forte", com H-, por influência de Hermes (compare com o nome do rei visigodo Hermenegildo), difundido graças a uma princesa, personagem do épico Jerusalém Libertada (La Gerusalemme liberata, 1581), de Torquato Tasso.
HUGO - popularizado pelo sobrenome do autor francês Victor Hugo (1802-1885)
IARA (Yara) - nome tupi-guarani de uma entidade aquática feminina, variação do homem-aquático Ipupiara (o Boto). O nome popularizou-se devido à personagem-título do romance Iara (1880), do escritor pernambucano Carneiro Vilela.
INAH (Iná) - nome da personagem-título do romance Inah - História de Três Dias (1879), de Carneiro Vilela.
INDALÉCIO (Idalécio, Idalêncio, Idalércio) - Nome de um santo espanhol, primeiro bispo de Almería, do baixo latim Indaletius, de origem e significado desconhecidos.
ISAURA (IZAURA) - aparentemente de origem grego, deve ter ser se popularizado a partir da personagem Isaura, da ópera Tancredi (1813), de Gaetano Rossi. Inspirou possivelmente os nomes de outras personagens famosas, como Isaure, uma das esposas do rei na Ópera Barba Azul, de Jacques Offenbach (1866), baseado no conto de fadas de Charles Perrault (1697), ou pela personagem homônima da ópera Jerusalém, de Giuseppe Verdi (1843).
ISMAEL - do hebraico Ishma'el, nome bíblico do ancestral lendário das tribos ismaelitas do deserto, cujo uso popularizado a partir do século XIX possa ser explicado pelo personagem da ópera Ivanhoé (1826), de Rossini, baseado na obra de Walter Scott. Na mesma ópera sua filha chamava-se Leila, outro nome cuja popularidade poderia seguir a mesma explicação.
ISOLDA - personagem de contos de cavalaria medievais, com origem na Bretanha. A forma mais antiga portuguesa era Iseu, caída em desuso após o século XVI. A versão Isolda ganhou popularidade após a ópera alemã Tristão e Isolda, de Wagner. A origem do nome é o galês médio Essyllt, cuja forma proto-celta reconstruída seria *Ad-siltia ou *Ad-silita, "a contemplada". Através de diversas traduções européia o nome foi ganhando formas alteradas, como o antigo francês Iseldis (contaminação do germânico Îsarn-hildiz) e a forma masculina Isoldus (influência dos nomes alemães em -old, -wald).
ISOLINA (IZOLINA) - personagem da ópera Tebaldo e Isolina (1822), de Gaetano Rossi
JANDIRA (Jandyra) - nome do romance Ubirajara, de José de Alencar.
JATOBÁ - personagem do livro Iracema, de José de Alencar.
JÉSSICA (JESSICA, JESSIKA) - personagem de Shakespeare em "O Mercador de Veneza", inspirado no nome bíblico Iscah (Jesca). Popularizou-se no Brasil pelos dievrsos personagens de filmes e seriados norte-americanos.
JURANDIR - nome que tomou o personagem-título de Ubirajara, de José de Alencar.
JUSSIEU (Jussiê, Jussier, Joussier, Joussiê, Juciê) - provavelmente do sobrenome de três importantes naturalistas franceses dos séculos XVII e XVIII, Antoine de Jussieu (1686-1758), Joseph de Jussieu (1704-1779) e Adrien-Henri de Jussieu (1797-1853)
KLEBER (Cléber) - de Jean Baptiste Kléber (1753-1800), general francês participante da Revolução Francesa.
LAFAYETTE (Lafaiete) : A partir do título do Marquês de La Fayette, Marie-Joseph Paul Yves Roch Gilbert du Motier (1757-1834), aristocrata francês famoso por sua participação na Guerra da Independência dos Estados Unidos da América e nos primórdios da Revolução Francesa.
LAMARTINE - do poeta, político e escritor francês Alphonse de Lamartine (1790-1869), um dos defensores da Democracia em seu tempo, engajado na abolição da escravatura e na abolição da pena de morte.
LEILA - do árabe Laila, "noite", cujo uso popularizado a partir de meados do século XIX possa ser explicado pela personagem da ópera Ivanhoé (1826), de Rossini, baseado na obra de Walter Scott. Na mesma ópera seu pai chamava-se Ismael, outro nome cuja popularidade na mesma época poderia seguir a mesma explicação.
LINCOLN (Lincon) - do presidente dos EUA Abraham Lincoln.
LINDA - tomada como o significado de "linda", mais provavelmente é a redução de nomes femininos como Rosalinda, Belinda, Ermelinda. Pode ter se difundido graças à ópera Linda di Chamounix (1842), de Gaetano Rossi. Popularizou-se particularmente nos Estados Unidos, cujos filmes ajudaram a disseminar o nome.
MARFISA - personagem do romance épico Orlando Enamorado (Orlando Innamorato, 1495), de Matteo Boiardo.
MÁRIO - originalmente um sobrenome romano de origem gentílica, derivado do latim mas (genitivo maris), "macho", ou, alternativamente, de origem etrusca. Não era usado no português até o finzinho do século XIX, e seu uso pode ter sido difundido pelo personagem Marius, de Os Miseráveis (1862), de Vítor Hugo.
MARTIMIANO, -A - variação de Martiniano, -a, influenciada pela grafia de Martim.
MILTON (Mílton) - do sobrenome do escritor inglês John Milton (1608-1674).
MIRABEAU - do título do orador e escritor francês Honoré Gabriel Riqueti (1749-1791), Conde de Mirabeau.
MOACIR (MOACYR) - personagem do livro Iracema, de José de Alencar.
MOEMA - irmã da índia Paraguaçu (esposa do Caramuru), que morreu afogada.
NAIR (Nahir, Nayr, Anair, Anahyr, Anahy) - Talvez se refira à personagem Anaï, uma moça hebréia na versão parisiense da ópera Mosè in Egitto (Moisés no Egito, 1827). Na versão original, encenada em Nápoles, em 1818, a mesma personagem chamava-se Elcia.
NELLY - nome da personagem da Ópera "Adelson e Salvini" (1825), de Bellini . Na história, Nelly era a jovem noiva do rico e poderoso Adelson. Outra personagem da mesma ópera era Fanny.
NELSON (Nélson) - do sobrenome do almirante inglês Horatio Nelson (1758-1805)
NEWTON (Nílton) - do sobrenome do cientista inglês Isaac Newton (1643-1727).
NEY (Nei) - do sobrenome do militar francês Michel Ney, Duque de Elchingen(1769-1815)
NOÊMIA - variação do nome Noemi, popularizada pela personagem-título do romance Noêmia de Carneiro Vilela, de 1894.
NORMA - nome de uma personagem, a protagonista da Ópera Norma (1831), de Vincenzo Bellini. Era filha de Oroveso, e suprema sacerdotisa dos Celtas.
ODETTE (Odete) - personagem principal da ópera Lago dos Cisnes, de Tchaikowsky, cuja estréia foi em 1877.
OMAR - do árabe Umar, cuja popularização talvez se deva à personagem da ópera L'Assedio di Corintho(O Cerco a Corinto, 1826), de Rossini.
ORLANDO (ROLANDO, ROLÃO)- protagonista do romance épico Orlando Furioso (1516), de Ludovico Ariosto.
OSCAR - do anglo-saxão Osgar, deve ter ser se popularizado pelo nome da personagem Oscar, ministro do rei na Ópera Barba Azul, de Jacques Offenbach (1866), baseado no conto de fadas de Charles Perrault (1697).
OSMAN - da forma turca do nome árabe Uthman, popularizado em países europeus provavelmente a partir de personagem da ópera Almira, a Rainha de Castela (Almira, Königin von Castillien) de 1845 composta por George Frideric Handel, em 1705, baseada em um libretto de 1691 de Giulio Pancieri.

OSWALD -
ODILON - Possivelmente a partir do pintor francês simbolista Bertrand-Jean Redon, vulgo Odilon Redon (1840-1916). O nome originalmente era um sobrenome, como no caso do primeiro-ministro francês Camille Hyacinthe Odilon Barrot (1791-1873).
OTELO - personagem de Shakespeare, um mouro.
POJUCÃ (POJUCAN, IPOJUCÃ) - personagem do romance Ubirajara, de José de Alencar.
POLEÃO (POLIÃO) - Pollione, cônsul romano, personagem da Ópera Norma (1831), de Vincenzo Bellini.
RADAMÉS
- nome, de origem fictícia, de um personagem da Ópera Aïda de Giuseppe Verdi e Antonio Ghislazoni (de 1871). Era um general egípcio que se apaixonava pela escrava etíope Aïda.
REINALDO (RINALDO, RENALDO)- personagem do romance épico Orlando Furioso (1516), de Ludovico Ariosto, também menciona no romance Jerusalém Libertada (1581), de Torquato Tasso.
RENAN - Joseph Ernest Renan (1823-1892), escritor, filólogo, filósofo e historiador francês, autor de A Vida de Jesus (1863), primeira obra a enfocar a vida de Jesus Cristo a partir de um ótica racionalista e histórica.
RISOLETA - Seria uma deturpação do nome Isoletta, personagem da Ópera "A Estrangeira" (La Straniera), de Bellini, apresentada em 1829, baseada em livro de 1825.
ROGÉRIO - do anglo-saxão Hrôthgâr, popularizado pelo cavaleiro personagem dos romances épicos Orlando Enamorado (Orlando Innamorato, 1495), de Matteo Boiardo, e Orlando Furioso (1516), de Ludovico Ariosto.
ROLANDO - ver ORLANDO.
SADI - Provavelmente do nome do poeta iraniano medieval Sa'adi, cujo nome verdadeiro era Abū Muṣliḥ bin Abdallāh Shīrāzī (1184 – 1283/1291?), cujos poemas tornaram-se conhecidos no Ocidente e ganharam traduções a partir do século XVII. Grandes autores como Emerson e Goethe eram admiradores de Sa'adi.
SELIM - variação do nome árabe Salim, refere-se a um
príncipe turco personagem da ópera Il Turco in Italia (1814) , de Gioachino Rossini.
SHIRLEY - originalmente um sobrenome, tornou-se um nome feminino nos EUA, e popularizou-se mundialmente graças à carreira de sucesso da atriz-mirim Shirley Temple.
SÔNIA - do russo sonia, "paciência, sabedoria". Difundiu-se fora da Rússia talvez pelo nome de Sonia Tolstoi, esposa do escritor russo Leon Tolstoi, e pelo romance Sonia (1917), de Stephen McKenna.
STAEL - nome feminino, inspirado em Madame Staël, a escritora Anne Louise Germaine Necker (1766-1817), Baronesa de Staël-Holstein.
TAÍS (Thaís) - do romance Thaïs (1890), do escritor francês Anatole France, sobre a vida de Santa Taís do Egito.
TANCREDO - do germânico *Dancrêt. O Príncipe da Galiléia Tancredo (1072-1112) foi um dos líderes da Primeira Cruzada, e como o cavaleiro cristão Tancredi (Tancredo), aparece adaptado como personagem do poema épico Jerusalém Libertada (1581), de Torquato Tasso.
TASSO - provavelmente do sobrenome do poeta e escritor italiano Torquato Tasso (1544-1595).
TOGO - do nome do almirante japonês Tōgō Heihachirō (1848-1934)
UBIRAJARA - personagem-título do romance Ubirajara.
VOLNEI (VOLNEY, WOLNEY) - em homenagem ao Conde de Volney pseudônimo usado por Constantin-François Chassebœuf (1757-1820), escritor, filósofo, orientalista e político francês.
WALDYR - pode ser uma variação de Waldy, por sua vez abreviação de Oswaldy, grafia deturpada de Oswald, a partir da pronúncia portuguesa <Ôsvaldi>.
WAGNER (Vágner) - do compositor alemão Richard Wagner (1813-1883).
WASHINGTON - de George Washington, primeiro presidente dos EUA.
WILSON (Vílson)
YEDDA (Yeda, Ieda) - provavelmente do Balé Yedda (1879), de Olivier Metra, de inspiração japonesa.
ZAIDA (Zaída)- nome fictício de personagem da ópera Il Turco in Italia (1814) , de Gioachino Rossini. Na história era a esposa prometida do príncipe Selim.
ZAÍRA - nome da protagonista da da Ópera Zaira (1829), de Vincenzo Bellini, adaptação da tragédia Zaïre (1739), de Voltaire. Era a favorita do sultão de Jerusalém Orosmano, dividida entre sua fé cristão e o amor do sultão.
ZORAIDE - possivelmente um nome fictício inspirado em nomes helênicos, a protagonista da ópera homônima (1815), de Gaetano Rossi.
ZULMA - nome de personagem da ópera L'Italiana in Algeri (1813), uma escrava que era confidente de Elvira, a esposa do bei da Argélia.

Nenhum comentário: