Faça uma busca

Google
 

terça-feira, 15 de dezembro de 2009

Evolução 117: Eotheroides lambondrano, um sirênio fóssil em Madagascar

Uma nova espécie de sirênio primivo, Eotheroides lambondrano, foi descoberta na localizada de codinome AMP-11, próxima à vila de Ampazony, no noroeste de Madagascar. Os sirênios (Sirenia) incluem os peixes-boi e dugongos atuais, e uma série de espécies extintas, que mostram ao longo do tempo a progressiva adaptação à vida aquática. A nova espécie descoberta amplia o alcance geográfico dos sirênios no Eoceno Médio, em um gênero já conhecido com espécies no norte da África (E. aegyptiacus) e na Índia (E. babiae) e é muito significativa por ser a primeira espécie de mamífero descoberta no Terciário de Madagascar. A presença de restos de crocodilos e tartarugas aumenta a probabilidade de que o sítio de Ampazony se torne uma importante fonte de vertebrados terrestres no Eoceno de Madagascar, o que preencheria uma enorme lacuna.

Evolução 116: Yacarerani boliviensis

Uma equipe de paleontólogos brasileiros e argentinos descobriram no Cretáceo Superior da Bolívia (Formação Cajones, em nível atribuído ao Turoniano-Santoniano) um bizarro crocodiliano de focinho curto, supostamente um parente próximo do gênero registrado no Brasil Adamantinasuchus. Foi batizado de Yacarerani boliviensis, a partir das palavras guaranis yacare "jacaré" e rani "primeiro".

(mais detalhes em breve)


Bizarre Notosuchian Crocodyliform with Associated Eggs from the Upper Cretaceous of Bolivia. Fernando E. Novas, Diego F. Pais, Diego Pol, Ismar De Souza Carvalho, Agustin Scanferla, Alvaro Mones, and Mario Suárez Riglos, Journal of Vertebrate Paleontology 29(4):1316–1320, Dezembro de 2009

segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

Evolução 115: Bos buiaensis, o touro ancestral

Bos buiaensis representa um intermediário entre los búfalos africanos extintos do gênero Pelorovis, e o auroque, a forma selvagem original dos bovinos domésticos, Bos primigenius. Um crânio fóssil, com chifres de dois metros de envergadura, foi encontrado na localidade de Buia, na Eritréia, África Oriental, em terrenos de um milhão de anos de idade, junto com restos humanos, o que indica que tantos homens quanto bois realizaram uma migração paralela da África para a Europa por volta de 800.000 anos atrás. Outras espécies que podem ter seguido a mesma rota foram o leão (Panthera leo), o leopardo (Panthera pardus), a hiena-malhada (Crocuta crocuta), e o elefante-de-presas-longas (Palaeoloxodon antiquus), conforme atestam achados no sítio de Gesher Benot Ya'aqov, em Israel.

Fonte: Aragosaurus

Martínez-Navarro, B., Rook, L., Papini, M., Libsekal, Y. A new species of bull from the Early Pleistocene paleoanthropological site of Buia (Eritrea): Parallelism on the dispersal of the genus Bos and the Acheulian culture. Quaternary International, doi:10.1016/j.quaint.2009.09.003

Martínez-Navarro, B. & R. Rabinovich. The fossil Bovidae (Artiodactyla, Mammalia) from Gesher Benot Ya'aqov, Israel: out of Africa during the Early-Middle Pleistocene transition. Journal of Human Evolution (in Press, on-line 17/06/2010)

domingo, 13 de dezembro de 2009

Evolução 114: Tethyshadros insularis, o bico-de-pato italiano

O Tethyshadros insularis, é a mais nova espécie de dinossauro hadrossauróide a ser descrita, e a primeira a ser descoberta na Itália. Datado do Cretáceo, este curioso dinossauro bico-de-pato , cujo esqueleto é um dos mais c0mpletos já descobertos, combina traços primitivos e avançados, e é uma chave importantíssima para conhecermos melhor a evolução dos peculiares bicos-de-pato europeus, marcados pelo pequeno tamanho característico dos animais insulares. Na época em que o Tethyshadros vivia, o norte da Itália fazia parte da Ilha Adriática, uma das muitas compunham um imenso arquipélago existindo onde hoje estende-se o continente europeu. Futuras descobertas neste promissor sítio paleontológico italiano poderão auxiliar os cientistas a entender melhor a paleozoogeografia do arquipélago europeu, e suas relações com as faunas da Ásia, África e América do Norte. Os mais avançados dos hadrossauróideos eram os hadrossaurídeos (Hadrosauridae), os dinossauros bicos-de-pato por excelência, difundidos pela Asiamérica (bloco continental do Cretáceo Superior formado pela Ásia nuclear e pela metade oeste da América do Norte), de onde partiram algumas ramificações tardias para a Europa Ocidental (Espanha) e América do Sul (Argentina). Aqueles dinossauros aparentados a eles, mas primitivos demais para serem incluídos nos hadrossaurídeos, faziam parte da superfamília dos hadrossauróides, com alguns representantes de traços arcaicos no Cretáceo Médio asiático e norte-americano, e um grupo de espécies endêmicas européias, com fósseis achados em diversos sítios espalhados por Espanha, França, Holanda, Áustria, Hungria e Romênia.

Dalla Vecchia F.M., 2009. Tethyshadros insularis, a new hadrosauroid dinosaur (Ornithischia) from the Upper Cretaceous of Italy. Journal of Vertebrate Paleontology 29:1100-1116.