Faça uma busca

Google
 

terça-feira, 8 de abril de 2008

Mitologia 9: a traidora e o poder dos cabelos


Notem as similaridades entre os seguintes mitos:

1- Minos liderava os cretenses na guerra contra Mégara. A cidade era inexpugnável porque seu rei Niso (Grego Nisos, Latim Nisus) possuía um fio de cabelo de ouro ou púrpura que conferia-lhe uma invencibilidade mágica. Cila (Gr. Skylle:, Lat. Scylla) traiu o próprio pai por amor a Minos, e entregou o segredo a seu amante, que cortou o fio.
2- Anfitrião (Gr. Amphitryon, Lat. Amphitryo), o pai humano de Héracles, liderava os micênios na guerra contra os táfios, liderados por seu primo Pterelau (Gr. Pterelaos), que igualmente possuía um fio de ouro na cabeça (alguns diziam tirado da própria Medusa), e era magicamente invulnerável. Sua filha Cometo (Gr. Komaitho:, Lat. Comaetho) traiu o pai e ajudou o amante, que cortou o cabelo e matou seu inimigo.
3- Leucipo liderou uma invasão à cidade de Magnésia de Meandro, e foi vitorioso quando Leucófria (Gr. Leukophrye:), filha do rei inimigo Mandrólito (Gr. Mandrolytos, Lat. Mandrolytus) traiu seu próprio pai.
4- Aquiles conquistou a cidade de Metimna (Gr. Methymna) sendo ajudado por Pisidike, filha do rei.
Em todos os casos acima a traidora, ao invés de conquistar o amor do conquistador, ganha seu desprezo, e é condenada à morte.

5- No mito galês, Blodeuwedd, a mulher feita de flores, em conluio com seu amante Gromw, amarra os cabelos de Lleudd à cama, deixando-o indefeso para morrer.
6- Sansão é traído por Dalila, que corta seus cabelos, entregando-o a seus inimigos, os Filisteus.
7 - Jericó era protegida por muralhas inexpugnáveis, mas uma mulher, Raabe (Rahab), permite que invasores atravessem-na.
8 - Absalão, filho de Davi, e morto após ficar preso pelos longos cabelos a uma árvore.

Ou seja, emerge um padrão comum: um rei poderoso, cuja força vinha magicamente dos longos cabelos (ou de um fio mágico escondido), é traído por uma mulher, derrotado e morto. Paralelamente a este tema, pode estar outro: em Roma falava-se de Tarpeia, uma romana que traiu sua própria cidade por amor ao invasor sabino Titus Tatius. Ela permite a entrada dos soldados, alguns dizem subornada, mas sua recompensa é ser esmagada pelos escudos. Como símbolo da traição, dá seu nome à Rocha Tarpeia, de onde os condenados eram atirados.
Os hebreus devem ter recebido seus mitos dos filisteus, que eram originários de Creta. A ligação com os celtas de Gales é mais difícil de traçar: talvez remonte a algum antigo mito mediterrâneo ou europeu.

Nenhum comentário: