Faça uma busca

Google
 

quinta-feira, 17 de setembro de 2009

Evolução 74: Raptorex, o vovozinho do Tiranossauro

Cientistas descobriram na China um novo membro da família dos tiranossaurídeos (Tyranosauridae) datado de cerca de 125 milhões de anos, 60 milhões de anos mais antigo que seu possível descendente, o colossal Tyranosaurus rex. O fóssil, batizado de Raptorex kriegsteini, era praticamente uma cópia em miniatura do gigantesco carnívoro, provando que as principais características dos tiranossaurídeos desenvolveram-se anteriormente quando ainda eram animais de porte relativamente pequeno. O Raptorex era da altura de um homem, com o comprimento de cerca de 3 metros, da ponta do focinho à da cauda.

quarta-feira, 16 de setembro de 2009

Evolução 73: Spinophorosaurus

Um novo saurópode do Jurássico Médio do Níger, Spinophorosaurus nigerensis., é o mais completo saurópode basal conhecido até o momento, devido ao ótimo estado do esqueleto fossilizado descoberto. Compartilhando muitas características anatômicas em comum com dinossauros afins e contemporâneos da Ásia oriental, estranhamente é bem diferente de formas contemporâneas da Índia e América do Sul. A explicação que emerge deste aparente paradoxo é que tenha havido algum separação geográfica entre as faunas do sul (América do Sul, Antártida, Austrália, Índia, Madagascar) e do norte do supercontinente de Gondwana (África), talvez graças a uma grande faixa desértica central cortando-o e dificultando a dispersão dos diversos animais.

terça-feira, 15 de setembro de 2009

Evolução 72: Albalophosaurus, o novo dinossauro japonês

Uma nova espécie de dinossauro ornitísquio, Albalophosaurus yamaguchiorum , foi descrito a partir de restos fósseis achados na Formação Kuwajima do Japão. Datado do início do Cretáceo, a espécie pode ter afinidades com o grupo dos Ceratopsídeos, mas a ligação não é segura ainda.

Tomoyuki Ohashi & Paul M. Barrett (2009) - A New Ornithischian Dinosaur from the Lower Cretaceous Kuwajima Formation of Japan. Journal of Vertebrate Paleontology 29(3):748-757. 2009
doi: 10.1671/039.029.0306

Evolução 71: Era uma vez três leões (ou dois?)

Novos estudos sobre o imponente leão-americano (Panthera atrox) sugerem que ele talvez não seja tão "leão" assim, sendo talvez mais uma espécie aparentada à onça. A relação entre o extinto "leão" da América do Norte e o atual (Panthera leo) já havia sido mencionada uma postagem anterior (Evolução 46), e agora a distância entre ambos - que já chegaram a ser considerados como partes de uma única espécie - parece cada vez maior, conforme o cladograma genealógico sugerido por estudo publicado no Journal of Vertebrate Paleontology. A origem da "pantera-atroz" estaria talvez nos mesmos ancestrais que deram origem à onça sul-americana, a qual teve subespécies pré-históricas extintas no Velho Mundo (Panthera onca toscana) e na América do Norte (Panthera onca augusta), possivelmente derivados de uma espécie eurasiática extinta de grande felino, a Panthera gombaszoegensis.

Christiansen, Per e John M. Harris (2009). Craniomandibular Morphology and Phylogenetic Affinities of Panthera atrox: Implications for the Evolution and Paleobiology of the Lion Lineage. Journal of Vertebrate Paleontology 29(3):934-945. 2009
doi: 10.1671/039.029.0314