Faça uma busca

Google
 

sábado, 17 de maio de 2008

Mitologia 13: Zeus


Zeus, a divindade suprema dos gregos, em todas as cidades e regiões, era o grande e onipotente senhor do Olympos. Parece que os gregos primitivos teriam fundido pelo menos duas divindades no decorrer do tempo. Uma, o grande e velho Deus-Céu, pai dos deuses, chamado Zeus Patêr. Outra, o mais forte de seus filhos, o bravo e belicoso Deus da Tempestade, senhor dos raios, trovões e relâmpagos, cujo antigo nome ignoramos. Aos cultos gregos se misturaram crenças mediterrâneas em jovens deuses consortes da Grande Mãe. Em Creta chamavam-no de Zên ou Zân, e veneravam-no na forma de uma criança divina, que renascia constantemente numa gruta.
Senhor do Céu, do Dia, da Luz, o poderoso Zeus era visto como vencedor das forças tenebrosas, os monstros e gigantes. No decorrer da época clássica, vai ganhando características cada vez mais onipotentes, o que o farão confundir-se com a noção de Destino. Mas seu aspecto principal é a associação com os fenômenos atmosféricos, na sua qualidade de responsável pelas chuvas, ventos, raios e neve. Seus animais sagrados principais são a águia e a cabra, embora em suas aventuras tenha apresentado muitas metamorfoses, dentre as quais touro, cavalo, urso, serpente, cisne e cuco.
Quando Zeus venceu seu pai Kronos, dividiu o mundo com seus irmãos. A ele caberia o Monte Olimpo e o Céu; a Poseidon, o Mar; e com Hâdês ficaria o Inferno, o sombrio reino subterrâneo. A Terra era comum a todos. Zeus possuía muitas divindades menores auxiliando-os. Participavam de sua corte os filhos do titã Pallas e da ninfa Styx: Biê (a Violência), Kratos (o Poder), Nikê ( a Vitória) e Zêlos.
Esposo de sua irmã gêmea Hêra, que seria a sua rainha, teve no entanto uma infinidade de aventuras amorosas com outras deusas e muitas mortais. Segundo Hesíodo, antes de tornar-se esposo de Hera, amou seis outras grandes deusas. Com a oceânide Mêtis, gerou Athênaia; com a titã Themis, as Horai; com a oceânide Eurynomê, as Kharites; com sua irmã Dêmêtêr, Persephonê; com a titã Mnemosynê, as Mousai; de Lêtô, filha dos Titãs Koios e Phoibê, gerou os gêmeos Apollon e Artemis.
Depois gerou com Maia, filha de Atlas, o deus Hermês; com a ninfa Kallistô, gerou Arkas, antepassado dos árcades; com Alkmena, gerou Hêraklês, o mais forte dos mortais; com Semelê, gerou Dionysos; com Lêda, gerou os gêmeos celestes, Kastor e Polydeukes, além de Helene de Tróia; com Danae, gerou Perseus; com Europa gerou Minos e seus irmãos. Estes são apenas alguns de seus filhos, já que um grande número de povos e cidades se diziam descendentes de filhos de Zeus.
Da união com sua esposa “legítima” nasceram Ares, Hebe e Eileithyia.O nome Zeus remonta ao indo-europeu *Dyeus, "céu claro, céu luminoso", cognato do latim Jupiter (< Jovis Pater), do sânscrito Dyaus Pitar, e do germânico *Tiuz. O nome se liga à raiz *deiH- "brilhar, fonte igualmente de *deiwos "deus" (Latim deus, Sânscrito deva, Celta devos), e de *diwe- "dia" (Latim dies).


Arte: Fred Carvalho (1999)

Nenhum comentário: